O Território sóbrio da ética


‘Estou em harmonia com todos enquanto o sentimento é honrado,
e a intenção, altruísta..’

‘Vivo no território sóbrio da ética. Sou um com todos, no nível do que é sincero.
O fogo do respeito pela verdade me defende. 
Nada tenho em comum com quem quer que seja no plano do erro intencional: rejeito vícios, afasto falsidades, elimino impurezas. 
Não temo pagar pelos meus erros.
Estou em harmonia com todos os seres, enquanto o sentimento é honrado e a intenção, altruísta.
Desaprovo o que é indigno. Compaixão é útil para ajudar alguém a erguer-se.
Não serve de desculpa para aderir ao erro.
Deixo de lado quem me vê como desonesto ou espera que eu apoie hipocrisia. 
O perdão mútuo dos perversos não me interessa.
Peço a minha alma que me proteja da maldade em pele de cordeiro, e me ajude a identificar logo o egoísta que me vê como seu colega. 
Recuso qualquer cumplicidade com quem opta pelo erro.
Faço minhas as palavras de Maimônides: prefiro agradar a uma pessoa inteligente e honesta, desagradando a dez mil tolos, do que fazer o contrário. 
Longe de mim o elogio melífluo dos desonestos. Não quero ver espiritualidade onde ela não está.
Que a austeridade me proteja, e eu possa ser honesto sem ser ingênuo. 
A fraternidade universal pressupõe um coração puro. 
Desmascararei serenamente a feiura moral disfarçada de bondade.
Procurarei defender a ética. Plantarei o bem.  Om, Shanti, Paz. Om.’

Oração em Defesa de Minha Alma
Autoria: Carlos Cardoso Aveline

Voz: Moema Alencar – Edição de Áudio: Paulo Coração
Autoria: Carlos Cardoso Aveline – Acervo da Loja Independente de Teosofistas

Deixe uma resposta