scenic view of clouds during dawn

‘Há ilusões pessoais, coletivas, científicas, espirituais, existem ilusões em todas as dimensões de ação humana. Olhando superficialmente o mundo vemos que grande parte dos indivíduos são ilusionistas, criando pequenos espetáculos circenses para si mesmos e os outros.

Há ilusões criadas com a intenção de enganar o outro de forma a satisfazer ambições egoístas. Vemos isso diariamente no campo da política, da pesquisa científica, do marketing e do jornalismo sem ética, e também nas famílias. Mas talvez a maior parte das ilusões seja criada sem que a pessoa se dê conta, como anestésicos, de forma a proteger artificialmente o conforto psicológico e emocional, individual e coletivo. A verdade é como fogo, e o fogo além de iluminar queima. Entre a paz que resulta de enxergar o caminho e a dor que a chama provoca ao queimar os aspectos menos nobres da existência, são poucos os que optam por tentar conhecer e viver a Verdade.

Ao contrário do que as aparências indicam, o mundo da ilusão é de constante sofrimento e ansiedade. A ilusão é um nível de mentira e sabemos que o mentiroso não tem um minuto de descanso. Ele vive com o receio que a mentira seja descoberta.

É bom que o estudante tenha isso claro. Melhor ainda é criar condições para chegar ao esclarecimento por si mesmo.

Superficialmente podemos achar que somos felizes e estamos em paz alimentando irrealidades, mas a verdade permanece. Ela está sempre presente e caminha ao lado do engano. Quando o engano se desfaz, ela se torna visível. Nas profundezas do Ser vive-se uma luta entre verdade e ilusão e entre o transitório e o permanente. Sabemos a quem pertence a vitória. Podemos fugir da realidade, muitas vezes cruel para as nossas expectativas pessoais, porém é uma questão de tempo até termos de olhar de frente e ver as coisas como elas são e agir tendo em conta os fatos. ‘

– Joana Maria Pinho

Deixe uma resposta