‘O verdadeiro valor da meditação torna-se aparente com o passar do tempo, à medida que a bondade e o desvelo se transformam em uma segunda natureza. Quando aprendemos a nos libertar do palavrório extrínseco que tumultua a mente, descobrimos que a verdadeira natureza – o eu essencial – é um centro de consciência, paz e compaixão. Agir gentil e amorosamente com os outros torna-se nosso autêntico estado de ser, ao invés de uma mera exibição exterior.’

Joel e Michelle Levey

Deixe uma resposta